Em Dourados, Odilon lamenta prisão de André Puccinelli

09/08/2018 - 15h08

O candidato pedetista disse ser justa a detenção do adversário, mas negou interferência judicial no processo eleitoral

Odilon de Oliveira, em visita à Folha de Dourados na manhã de hoje Odilon de Oliveira, em visita à Folha de Dourados na manhã de hoje

Em visita ao jornal Folha de Dourados na manhã desta quinta-feira (09), o pré-candidato do PDT ao Governo do Estado, Odilon de Oliveira, disse lamentar a prisão do ex-governador André Puccinelli (MDB). "É muito ruim para a democracia que lideranças como a dele se encontram nessa situação, envolvidos em corrupção", disse o juiz federal aposentado ressaltando, contudo, ser justa a detenção de Puccinelli há mais de 20 dias em Campo Grande.

Para Odilon não existe interferência do sistema judicial nas eleições aventada, inclusive na grande imprensa, como por exemplo o aceleramento do processo que levou o ex-presidente Lula à cadeia e mesmo a prisão de Puccinelli às vésperas das convenções partidárias. "Está tudo dentro da ordem democrática", afirmou.

O pré-candidato que estava acompanhado de seu vice, o bispo Marcos Vitor (PRB) e do vereador Romualdo Ramin (PDT disse que uma vez eleito buscará auxiliares qualificados com profundo conhecimento no setor a ser ocupado, e probos. "Pode ser indicação política de aliados, mas terá que ser da área e conhecer a pasta".

Odilon defende tempo integral das escolas para ao mesmo tempo educar com qualidade e afastar os jovens da criminalidade, e pretende potencializar o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) para combater o contrabando e tráfico de drogas.

O pedetista pretende, uma vez eleito, interagir com a sociedade, principalmente com o empresariado e com as igrejas, para ajudar na recuperação e inserção social dos apenados. "É preciso acolhe-los com emprego, cidadania e fé", afirmou.

Ele propõe ainda a resolução de muitos casos "pequenos" nas próprias delegacias com anuência do Ministério Público, a fim de não sobrecarregar o Judiciário e esvaziar as celas das delegacias. "Lugar de preso é no presídio".

Desde o final da tarde de ontem (08), que o pré-candidato cumpre agenda em Dourados, que será encerrada na manhã de amanhã. Depois, Odilon segue para Caarapó e Glória de Dourados. Ele tem visitado a imprensa, mantendo reuniões com partidários, lideranças e representantes da sociedade civil organizada.

 

Canais

Valfrido Silva
Artigos
Geral
Entrevistas
Roda do Tempo
Bastidores

Expediente

Contato
Anuncie